SE APOSENTAR SEM DEPENDER DO INSS – VEJA UMA SUPER ESTRATÉGIA MUITO EFICIENTE QUE NINGUÉM TE CONTA.


sem depender do inss

Com a reforma da previdência, as condições para a aposentadoria, certamente não serão mais as mesmas que conhecemos hoje, e cada vez mais torna-se uma tendência irreversível planejar-se para aposentar sem depender do INSS.

O objetivo do governo de reequilibrar urgentemente a sustentabilidade das contas públicas no médio a longo prazo, aumenta de forma drástica a pressão sobre os trabalhadores.

As principais mudanças propostas incluem o aumento da idade mínima da aposentadoria, mas chama atenção principalmente o tempo de contribuição mínimo para que o trabalhador possa se aposentar com aposentadoria integral.

Quando você está em seus 20, 30 ou mesmo 40 anos, a aposentadoria pode parecer estar a uma vida de distância. Algo que talvez você não precise planejar ainda.

Mas é realmente cedo demais para começar a se preparar para um futuro de independência financeira? É CLARO QUE NÃO!

O melhor momento para começar a planejar a aposentadoria é no dia em que você recebe seu primeiro pagamento.

Mas, historicamente, para a grande maioria a aposentadoria só começa a entrar em foco após superada a maior parte da juventude, e a maturidade já se faz presente com certo peso.

O peso da maturidade ora pode se apresentar como sendo muitas responsabilidades ligadas à manutenção da família, ainda mais se incluir filhos, ora pelo tipo de trabalho em si, que pode ser muito desgastante, ou até problemas de saúde que levem a limitações.

O que é certo é que mesmo quando a aposentadoria parece uma condição distante, é fácil entender que quanto antes se iniciar um planejamento, melhores serão as condições em que essa aposentadoria será conquistada no tempo certo.

No entanto, na realidade, muitas pessoas ainda demoram muito a dar os primeiros passos para preparar o caminho para uma aposentadoria financeiramente segura.

Para alguns, o planejamento da aposentadoria parece muito difícil. Para outros, parece que a aposentadoria não se aplica a eles.

O fato é que a maioria dos trabalhadores vai precisar se aposentar um dia e, tomando algumas medidas básicas agora, eles podem melhorar muito as perspectivas para a sua independência financeira na aposentadoria, independente da cara que terá a aposentadoria oficial pelo INSS quando essa hora chegar.

Quando você chega aos 50 ou 60 anos desperta e percebe que a necessidade de planejar a aposentadoria surge como uma urgência aterrorizante.

Este abrupto despertar que pode chegar até a criar um certo pânico, muitas vezes começa cinco anos ou um pouco mais antes da aposentadoria.

ESTUDOS APONTAM QUE ATUALMENTE APENAS 1% DOS APOSENTADOS SÃO INDEPENDENTES FINANCEIRAMENTE.

Tendo em vista as atuais mudanças da reforma previdenciária, isso ainda pode piorar.

Se você pretende se colocar no futuro entre os que fazem parte desse 1%, continue lendo esta matéria até o fim.

Quando se fala em planejamento, principalmente para os mais jovens, vem à mente algo distante no futuro.

A primeira vista, planejar separando algo agora para investir e garantir um objetivo de aposentadoria futura confortável, pode remeter a impressão de muitas privações na atualidade.

É claro que será necessário impor alguns limites de gastos hoje, mas isso não quer dizer necessariamente que o presente deva ser sacrificado. Você entenderá melhor o que quero dizer, um pouco mais a frente.

Um bom conselho é começar estabelecendo seu objetivo de aposentadoria.

Para isso é fundamental que você pense e consiga responder as seguintes perguntas:

Quanto você consegue dispor hoje mensalmente para reservar para investir para esta finalidade?

Primeiramente, você precisa ter certeza de que, caso tenha dívidas, elas estejam bem gerenciadas. Prefira sempre evitar dívidas ou, ao menos, tenha um plano para sair delas.

Em segundo lugar, e geralmente ligado ao primeiro, você também precisa estar gerenciando bem as suas despesas.

Se houver dúvidas quanto a estes dois pontos, pode significar que você precisa definir um orçamento pessoal mais detalhado e começar logo a cumpri-lo.

Quantos anos ainda restam até o momento da sua aposentadoria?

Depois de identificar onde você quer ir, você precisa dar uma olhada em onde está hoje.

Não se pode pensar em chegar a lugar algum, sem primeiro reconhecer e saber onde está o seu ponto de partida.

Se você está nos estágios iniciais de sua carreira e apenas começando com sua poupança (seja ela qual for), como você vai lidar com seus investimentos e gestão de dívida?

Muitas pessoas atingem o pico de seus salários em seus 50 e 60 anos. Mas quanto mais perto você estiver de se aposentar, mais foco você precisará para planejar, já que se aproximando o momento da aposentadoria, você precisa ter seu fluxo de caixa sob controle.

Você precisa ter controle sobre o que está gastando a cada mês e a cada ano, já tendo em mente o momento da aposentadoria.

Quanto será razoável ter a disposição mensalmente para que você consiga manter um bom padrão de vida na aposentadoria?

Visualize sua aposentadoria. Comece imaginando o que você vê como um futuro bem-sucedido e financeiramente seguro na aposentadoria.

Essa técnica de criar uma imagem mental do resultado desejado é usada até por muitos dos atletas profissionais e empresários de maior sucesso.

É claro que o plano nem sempre funciona perfeitamente, mas imaginar o futuro pode ao menos ajudá-lo a desenvolver um plano de jogo com maior chance de dar certo.

Tenha em mente que quando você é jovem, você pode considerar uma regra básica, em que você precisará de aproximadamente 60 a 80% da sua renda de antes da aposentadoria, quando entrar na aposentadoria.

Mas, à medida que você se aproxima da aposentadoria, você vai precisar estar acompanhando bem o que está gastando e ajustar esse gasto para se adaptar de acordo com as possíveis mudanças no estilo de vida que ocorrerão com a aposentadoria.

Com que idade você quer se aposentar?

Ao definir claramente isso, você também pode definir metas e perceber que o futuro que você quer é realizável dentro de um planejamento sério que te permitirá se aposentar sem depender do INSS .

Um plano de aposentadoria seguro é mais do que apenas poupança, trata-se de gerar renda. Existem decisões que você pode tomar agora mesmo, para criar opções de renda mais robustas e mais eficientes para ter tranquilidade na aposentadoria.

Isso significa que você deverá reservar dinheiro para a aposentadoria, investindo esse dinheiro em ativos que lhe fornecerão retornos que correspondam ao seu nível de tolerância ao risco.

A FALTA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA SE APOSENTAR SEM DEPENDER DO INSS

O primeiro passo é, reconhecidamente, assustador. Mas o resto do seu planejamento de aposentadoria depende disso.

Antes de mais nada, você precisa ver onde você está financeiramente. Quanto você economizou até agora? Nesse passo, se mantiver esta linha atual, você gerará dinheiro suficiente para cobrir ou complementar suas despesas na aposentadoria pelo INSS?

Talvez aqui você até já tenha um mau pressentimento sobre o que esses números lhe dirão.

Mas não se preocupe ainda, pois este é o momento para confrontar a verdade, sabendo que ainda há tempo para mudar as coisas para gerar renda, reduzir seus gastos atuais para encontrar mais dinheiro para poupar ou (no pior caso) repensar suas expectativas de aposentadoria.

Normalmente este é o momento em que as pessoas começam a pesquisar freneticamente sobre investimentos financeiros, fundos de previdência privada e tudo o mais que possam pensar em termos de soluções sugerida ou aconselhadas por administradores desses tipos de investimentos em instituições bancarias.

Dependendo de quão longe você ainda se encontre de garantir uma boa e tranquila aposentadoria, você pode não se sentir capaz de economizar o suficiente ou dedicar anos extras suficientes trabalhando para compensar o tempo perdido.

Mas, a boa notícia é que os “faça-você-mesmo” também têm algumas boas estratégias pouco difundidas como opção para tornar a sua aposentadoria viável.

Isso significa que você só precisa abrir sua mente a outras maneiras de melhorar sua segurança de aposentadoria, que podem não estar a vista da grande maioria, mas que, apesar disso, são estratégias inteligentemente desenvolvidas e consolidadas.

INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COMO UMA ÓTIMA ESTRATÉGIA DE APOSENTADORIA

Se você não sabe como funciona de fato um investimento imobiliário, de quais formas ele pode ser feito além da compra e venda direta de um imóvel, você vai entender agora.

As forma mais comum de investir no mercado imobiliário é por meio da construção ou compra de um imóvel pronto, para alugar e gerar uma renda passiva mensal, ou para vender por um valor maior no futuro.

Vários fatores contribuem para tornar o setor imobiliário um dos preferidos para quem deseja construir um patrimônio:

Segurança

Todas as pessoas precisam de um local para morar e empresas de um local para se estabelecer como bancos, lojas, supermercados, academias, clubes e etc.

Como em qualquer atividade da nossa vida há sempre um imóvel envolvido, mesmo na pior das crises ainda haverá demanda por imóveis.

Além disso, investimento em imóveis está imune à quebra de bancos ou instituições financeiras e não pode ser congelado pelo governo, como a poupança já foi no passado, o que os torna historicamente a forma de investimento mais estável.

Acompanhando a evolução do preço de imóveis, observa-se que mesmo em momentos de fragilidade da economia, o preço dos imóveis não é afetado pelos efeitos da redução dos níveis de renda e de crédito. Esta solidez é uma das grandes vantagem do investimento imobiliário.

Potencial de valorização

Segundo números recentes do IBGE, existe um déficit habitacional no Brasil de 6,4 milhões de residências.(1)

Isto, somado ao aumento populacional, gera um crescimento consistente na demanda por imóveis, resultando numa valorização dos imóveis existentes, já que as empresas do setor de construção não possuem capacidade de produção para atender toda esta demanda.

Proteção da inflação

O parcelamento da compra de um apartamento, o valor dos aluguéis e outras transações do mercado imobiliário são normalmente atualizados pelo INCC (Índice Nacional da Construção Civil), um índice de inflação de preços específico do setor da construção civil.

Com isso, investir dinheiro na incorporação imobiliária ou alugar a terceiros um imóvel de sua propriedade, constitui uma forma direta de proteger e preservar o poder de compra do seu dinheiro contra os efeitos da inflação, principalmente em momentos de crise.

Renda

Investir em imóveis permite que você gere uma renda passiva, ou seja, uma espécie de salário que não depende do seu esforço.

Não é fácil para a grande maioria, construir poupança suficiente para comprar facilmente um imóvel próprio a vista. Então, nestes casos, a opção é manter o aluguel de um apartamento, em lugar de arcar com os altos juros de financiamento na compra de um imóvel próprio, além das muitas restrições para se poder fazer este financiamento.

Por isso, sempre há pessoas à procura de um bom imóvel para alugar, e os dados demonstram que esta demanda raramente diminui em tempos de crise.

COMO PLANEJAR UMA APOSENTADORIA IMOBILIÁRIO SEM PRECISAR FAZER GRANDES DESEMBOLSOS

Comprar imóvel financiado historicamente costuma ser a opção natural do brasileiro.

Os financiamentos bancários podem ser utilizados tanto para aqueles em construção como os já prontos, e o saldo do FGTS em nome do comprador, quando existir, pode ser usado para ajudar a pagar o imóvel.

O problema é que mesmo o financiamento bancário sendo um recurso tão utilizado para financiamento imobiliário, não deveria ser, caso se levasse em conta que a taxa básica de juros no Brasil é uma das maiores do mundo. Não existe outro lugar do mundo onde os bancos cobrem tão caro pelo dinheiro que emprestam.

Um outra, e talvez a melhor forma de adquirir um imóvel, é por meio de Consórcio Imobiliário.

Consórcio Imobiliário funciona na prática como uma modalidade de compra programada baseada na união de pessoas – físicas ou jurídicas – em grupos, com a finalidade de formar poupança para a aquisição de imóveis. A formação desses grupos é feita por uma Administradora de Consórcios, autorizada e fiscalizada pelo Banco Central do Brasil.

Nele, o consorciado paga as parcelas para a formação do saldo do grupo do qual participa, sem dar nenhuma entrada e, por meio de sorteios realizados pela Loteria Federal ou por lances, o dinheiro é liberado através de cartas de crédito entregues para um ou mais participantes do grupo todo mês.

No Consórcio Imobiliário não há a obrigação de um aporte (entrada) inicial para um investidor aderir a um grupo, sendo, portanto, uma modalidade de financiamento a custo bem mais baixo e sem as restrições de outros meios de financiamento. Por isso é indicada para todas as pessoas, mesmo as que já fizeram tentativas frustradas de financiamentos bancários.

Quem adere ao consórcio ainda tem por lei a opção de empregar o saldo do FGTS para ofertar um lance, complementar o valor do crédito ou abater ou quitar o saldo devedor.

Aposte nesse investimento se quiser manter o seu estilo de vida e se aposentar sem depender do INSS.

Uma última dica, é que como a aposentadoria é um projeto de futuro, a compra de um imóvel na planta pode ser uma boa alternativa.

Os imóveis comprados antes ou durante a construção, normalmente são mais baratos se comparados com os já prontos e, por isso, também apresentam melhores condições na hora de negociar o parcelamento dos pagamento.

Clique aqui para saber mais sobre COMO SE APOSENTAR BEM CRIANDO SEU PRÓPRIO PLANO DE APOSENTADORIA GARANTIDO

(1) Fonte: Dados básicos: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2015 / Elaboração: Fundação João Pinheiro (FJP), Diretoria de Estatística e Informações (DIREI).

  • Se você tiver qualquer dúvida sobre este assunto, deixe seu comentário aqui abaixo que eu responderei.

    COMENTÁRIOS


  • ×